Artista brasileira lança luz sobre o problema da violência doméstica

Quando se ouve histórias de violência doméstica, a pergunta mais frequente é: mas por que ela não vai embora? É raro que a primeira pergunta seja sobre os motivos de um homem bater na mulher que, teoricamente, ama. E esse é o primeiro passo para entender muita coisa.
Quando uma mulher está em uma relação abusiva, isso não se traduz apenas em agressões físicas. O problema começa muito antes. O relacionamento têm poder sobre ela. E, sim, grande parte dos conflitos entre homens e mulheres têm relação com poder. E nesse caso, a mulher sente-se dependente daquele homem.
"Quando ele bebe, ele vira outra pessoa."Quando ele bebe, ele vira outra pessoa.Além disso, há o julgamento da sociedade. “Por que ela não vai embora?” “O que ela fez?” “Ah, ela deve ter feito alguma coisa para tirar o cara do sério.” É como se toda a culpa daquilo fosse da mulher, a vítima. O agressor é apenas uma pessoa que foi “obrigada” a agir daquela maneira.
E é exatamente isso que vemos na obra da fotógrafa Valérie Mesquita. O projeto Entre Nósmostra mulheres machucadas e suas justificativas. Por mais absurdo que pareça, é menos vergonhoso e doloroso para a mulher, dizer que caiu de bicileta e machucou o olho do que assumir que apanhou da pessoa que escolheu para dividir a vida.
A mulher, nessa situação, está fragilizada. E seu companheiro – ou a pessoa que deveria ser – deixa-a com a clara sensação de que não vai conseguir nada na vida sem estar ao lado dele, que ela não está prepadara para deixá-lo, que ninguém vai respeitá-la. Depois ele pede desculpas, diz que a ama, que não queria ter feito aquilo e que nunca mais vai acontecer. Mas acontece. E piora.
"Eu ainda amo. Não consigo separar as coisas."Eu ainda amo. Não consigo separar as coisas.
Todo trabalho que empondere mulheres para que saiam de uma relação abusiva é importante. Os números crescem anualmente e a vergonha de dar queixa ainda é imensa. Até mesmo na delegacia ela é, muitas vezes, desencorajada. Isso não poderia acontecer.
Se você conhece alguém que sofre violência doméstica, mostre-se aberta a conversar sem julgamentos, a ouvir. E então conte histórias, busque na internet outras mulheres contando como deixaram o ciclo da violência e conseguiram retomar suas vidas. Juntas somos mais fortes e podemos transformar essa realidade.

1 comentários:

  1. Meio complicado mesmo alguem querer entender o porque o outro agiu com violência pois nada justifica essa atitude, realmente devemos nos unir e ajudar essa mulheres que sofrem com isso, e no 1º momento em que perceber isso, não tentar se enganar achar q vai melhorar porque não vai!!! Um ótimo dia, bjss
    www.historiasdeumamaeapaixonada.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
By Iâni Naíra